Dois coelhos. Brasil, 2012.

angels-share-ken-loach

Muito constrangida com este filme.

Dizem que no cinema narrativas são contadas através de imagens. Aqui, a narração em off explica tintin por tintin. Eu DE TES TO filme com narração em off, e neste ela disseca tudo. Puta chatice. E logo hoje que li uma entrevista maravilhosa com o Godard [no recomendadíssimo Grandes diretores do cinema do Laurent Tirard], ele falando que o bom cinema mostra o invisível. Neste longa, o invisível não existe, tudo mastigadinho para o espectador.

E o mais agravante, é nítido que é um longa dirigido por um publicitário, o diretor estreante Afonso Poyart. hahaha. Tantos efeitos, filtros, movimentos de câmera, flashbacks DESNECESSÁRIOS. Putz. Nada contra esta tendência de filmes pop no Brasil, eu até me diverti com Bruna Surfistinha e Paraísos Artificiais, mas este filme é vacilo puro.

E pra fechar, a maior heresia: a belíssima Exit music for a film do Radiohead rolando nos momentos finais decisivos. POHA, RADIOHEAD!

Anúncios

1 comentário

Arquivado em cinema

Uma resposta para “Dois coelhos. Brasil, 2012.

  1. Ediie Krdozo

    Haha, adorei o post.
    Sei como é sentir vergonha, e senti muita nesse filme…
    Rodou, rodou e nada! E o final bem tosco.
    Blog bacanina o seu! 😀

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s