Sujos & sábios [Filth & wisdom] Inglaterra, 2008.

Eu amo a artista Madonna [acho um absurdo alguém em 2012 não reconhecer a importância do trabalho desta mulher] e curti o injustiçado W.E. [foi um fiasco de público apenas porque a indústria virou as costas para o mesmo, não acreditaram no filme, estreou em pouquíssimas salas mundo afora etc.]. Encorajado pelo requinte de W.E., fui atrás do primeiro filme dirigido pela artista.  Gentem, o roteiro escrito pela própria cantora é muitooooooo cagadoooooo. Nunca vi tanta infantilidade, auto-afirmação e pedantismo junto. Como realizadora, ok. Agora, NÃO DEIXEM MAIS MADONNA ESCREVER ROTEIROS. O problema de W.E. são os momentos melodramáticos e forçosos, estes momentos encontram-se multiplicados aqui.

De positivo, Eugene Hutz da banda de punk cigano Gogol Bordelo e a gata massa da Holly Weston [belíssima!!!]  estão até bem. E o filme é super a favor da diversidade sexual e cultural, como Madonna promove tão bem em sua carreira como cantora. Ser a favor da diversidade é lindo, porém, o que é que tem a ver aquele escritor cego [achei meio referência à Morte em Veneza do Thomas Mann] amigo de uma stripper e de um especialista em bondage? E desnecessárias as referências à sua própria carreira nos figurinos e até na trilha sonora.  E o momento Hit me baby one more time é das maiores vergonhas alheias do cinema dos últimos anos.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em cinema

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s